domingo, 22 de fevereiro de 2009

Clênio Souza, artista.

Artista plástico, professor de artes, escultor, cartunista, poeta e desenhista, Clênio Tadeu Paz de Souza nasceu em 1958 em Urubici. No início dos anos 60 sua família mudou-se para Lages, SC. De origem humilde, começou a desenhar aos sete anos de idade quando, ao acompanhar seu pai ao trabalho, numa madeireira, ganhou alguns pedaços de carvão. Foi o suficiente para que o mundo das cores e das formas ganhasse vida através de sua imaginação. Pintor autodidata, tornou-se um dos nomes mais conhecidos no surrealismo do Estado, e teve em Martinho de Haro um de seus maiores incentivadores. Seus quadros já foram expostos nas capitais e em várias outras cidades do sul do país, em cerca de 100 exposições (mais aqui) individuais e coletivas. Faleceu na manhã de segunda-feira, 29 de maio de 2006. (Fonte: biografia escrita por Raul Arruda Filho)

Foi exímio caricaturista. Segundo relato de um amigo, era comum Clênio participar de reuniões nas quais passava o tempo rabiscando em papéis e, ao final, vários participantes viam-se retratados nos traços firmes inconfundíveis do artista.


Um de seus trabalhos como cartunista foi a criação dos personagens Fagundes & Anacleto, publicados originalmente no hebdomadário O Momento. Com traços fortes e rústicos, registrou semanalmente em apenas três quadros a vida pitoresca de Fagundes, um gaúcho bronco e beberrão, mais grosso que dedão destroncado - grosso tipo bicho, nas palavras do seu criador, e seu inseparável parceiro de balcão de boteco, Anacleto, um porco esperto prá mais de metro. A simplicidade e atenção a pequenos detalhes são características marcantes do seu desenho.

Nas tirinhas estão representados costumes regionais, lugares e personalidades locais, incluindo o próprio semanário que o hospedava, palavreado gaudério [com erros de grafia e concordância], fatos insólitos que só acontecem em balcão de bar, e todo tipo de grosseria que um legítimo chiru casca grossa possa praticar!

Nasce hoje neste espaço a série Uma tirinha no pedaço, com as aventuras e as desventuras de Fagundes & Anacleto, grosso tipo bicho!

4 comentários:

  1. Ôpa, novidades no bom pedaço.

    Alvíssaras!

    ResponderExcluir
  2. Parabens pelo blog estava curtindo as tirinhas de um humor gostoso e traço solto agora lendo a biografia descubro que o autor já não se encontra neste plano uma grande perda... Vim via blog da Maysa e gostei daqui um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Veloso, o Clênio partiu cedo, mas deixou uma grande obra em pinturas, esculturas e também estes quadrinhos, que publico com muita satisfação.
    Seja bem vindo ao CF&CG, volte sempre!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. oi acabei de ganhar uma tela dele, alguem sabe como posso ver valores dessas telas?

    ResponderExcluir