domingo, 16 de agosto de 2009

Vida Que Segue, Pois.

Há uns cinco anos teve início meu contato mais constante com a blogosfera. Com o passar do tempo, este contato passou a ser diário, e um dos endereços favoritos era o NoMínimo, onde escreviam escritores e jornalistas brasileiros de qualidade, como Zuenir Ventura, Villas-Boas Corrêa, Tutty Vasques, Pedro Doria, Arthur Dapieve, Sérgio Rodrigues, Xico Sá.
Pedro Dória eu acompanhava com maior frequência. Agradava-me o seu texto leve e interessante. Continuei acompanhando após o encerramento do NoMínimo em meados de 2007, através do seu blog próprio, o Weblog, a ponto de tornar-se um vício diário, um salutar vício de boa informação.
No início apenas um leitor assíduo, aos poucos um comentarista bissexto, até que de ano e pouco para cá, arrisquei-me como um participante mais contumaz, mas com muita cautela, pois o nível dos participantes da caixa de comentários do Weblog sempre foi alto. Alto nível de cultura, de inteligência, de ironia, de humor, de engajamento político, de agressividade também. Nela fiz alguns bons amigos virtuais, com os quais sempre rola um bom papo e boas discussões.
Hoje, o Weblog fechou suas portas. Pedro Dória explica os motivos na Hora da despedida, seu penúltimo post. O último é o tradicional Uma Moça às Segundas, para fechar com chave de ouro, com certeza! Não mais Uma Estantes às Quintas, nem Uma Construção, Posto Que é Domingo!
A princípio, o choque da notícia faz-me lamentar o fim do Weblog. Mas, como sabemos, movimento é vida, e a renovação faz parte do ofício de continuarmos vivos. É a constante mudança, adaptando-nos ao meio, que nos mantém a identidade.
Que esta decisão do Pedro Dória seja apenas uma etapa na realização de coisas maiores e melhores, com as quais o PD poderá brindar aos seus leitores, comentaristas e amigos que o acompanham por tanto tempo.
Pedro, tudo de bom e de bem, à você e à Marina, e que tenham tudo na medida suficiente das suas necessidades, materiais e espirituais. Força e sucesso!
Um grande abraço, e até qualquer dia!
Alexandro.

7 comentários:

  1. É Cola, estamos ficando órfãos...

    ResponderExcluir
  2. É vero, Darw!
    Mas nada de orfanato, se o botecão fechou, a gente se encontra nos botequinhos!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Ou seja, faça o favor de postar com mais frequência, seu Alexandro :-)

    ResponderExcluir
  4. Pois é, seu Ricardo, a gente até tenta... mas preguiça, incompetência e aridez criativa não dá boa mistura! :-D

    ResponderExcluir
  5. Bom, no início pensei a mm coisa. Mas a gente tem de admitir alguns pontos:
    1. O Weblog tomava mto tempo, caso o sujeito pretendesse "comentar a sério" - era o meu caso.
    2. Não tenho nd contra a direita nem contra a esquerda, mas o clima de "troca de pedradas" e a "maluquice latente" de certos assíduos, como era o caso do chesterton, daquele antonio m e de um esquerdante militista cujo nome me escapa, mas q achava q tudo+tudo era conspiração dos americanos (a confetti dizia q ele "subia no caixotinho") estavam se tornando insuportável.
    3. Agora estou tendo tempo pra visitar e escrever em blogs mto interessantes, e q dão respostas mais consistentes. Como esse aqui, o do Darw, e por aí vai.

    ResponderExcluir
  6. Cola, meu filho, agora é o seguinte: vê se coloca coisas aí com maior frequência, sô!

    ResponderExcluir
  7. Seu Bitt, os extremos me incomodam, não importa se à direita ou à esquerda. Por isso, sempre evitei envolvimento maior nos arranca rabos lá no PD e agora no Pan, e olha que sempre tem um rolando! rsrsrs

    E você está certo, este vício ocupa um tempo precioso, tem que aprender a dosar, senão não faz mais nada...

    Agora, quanto à frequência, tá difícil sequer tentar acompanhar o teu ritmo, ou do Ricardo, do Darw... Sempre tenho dois ou três textos alinhavados na cachola, mas uma coisa é ruminar as palavras, outra é encarreirar as letrinhas no teclado... hahaha

    Muito bom vê-lo por aqui, apareça sempre que quiser!
    Um abraço

    ResponderExcluir